No caso de tubulações de fluidos das classes A e B, definidos pela norma NR13 (como combustíveis, inflamáveis e acetileno), esse trabalho de inspeção deve ser realizado por profissionais altamente capacitados e com um controle altamente rígido. Caso contrário, graves acidentes podem ocorrer e inúmeros impactos negativos podem ser gerados.

Em agosto de 2015, por exemplo, dois funcionários faleceram na região de Porto de Tubarão, em Vitória, durante uma manutenção programada da tubulação de óleo combustível do tanque de alimentação de uma caldeira, conforme informações do G1. A explosão da caldeira, ocorrida em uma área controlada pela Petrobras, liberou uma fumaça preta e densa que se espalhou pela região.

O representante do Sindicato do Comércio de Minério e Derivados de Petróleo (Sintramico), Jean Ferreira, disse que as duas vítimas mortas na ocasião eram funcionários terceirizados. De acordo com ele, o problema se deu devido à falta de técnica e de controle:

“Já havia pedido a fiscalização do Ministério do Trabalho contra a terceirização do serviço na região. O sindicato acredita que para o serviço é preciso ter um conhecimento mais técnico e um controle mais rígido”.

Foto: VC no ESTV

Foto: VC no ESTV

Além de acidentes que provocam danos à saúde dos funcionários e dos cidadãos – ou que resultam até mesmo em mortes –, também existem aqueles que causam graves impactos ao meio ambiente, afetando a flora e a fauna local. Em 16 de julho de 2000, a ruptura da junta de expansão de uma tubulação da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar – Petrobras) liberou quatro milhões de litros de óleo, que caíram nos rios Barigüi e Iguaçu, no Paraná. O acidente foi considerado o maior desastre ambiental provocado pela Petrobras em 25 anos.

É por isso que existem diversas normas – como a NR13, a ASME B 31.3, a API 570, a API 574, a N2555 (Petrobras) e a ABNT NBR 15358 – relacionadas à inspeção de tubulações, que devem ser seguidas para manter a segurança necessária para todos os envolvidos. Os profissionais que trabalham nas áreas de manutenção, inspeção, montagem, processo e projeto em empresas que possuem tubulações de fluidos devem, portanto, estudar essas normas e qualificar-se para atuar com esse tipo de serviço.

Pensando nisso, a Krozai oferece o curso “Inspeção de Tubulações”, que será ministrado nos dias 12 e 13/12/2016. O professor, Marcos Luiz de Macedo Rodrigues, é mestre em Sistemas Térmicos e Fluidos e Engenheiro Mecânico pela PUC-MG. Pós-graduado em Gestão de Marketing e Negócios na Fundação Dom Cabral, atua na área de Utilidades, especialmente em sistemas de ar comprimido, gás natural, vapor e fluidos em geral, em todos os segmentos industriais.

 
Para obter mais informações, como o local, o horário e a programação, clique aqui.

Faça agora mesmo a sua inscrição

Fontes consultadas:
http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2015/08/fumaca-negra-e-densa-sai-da-regiao-do-porto-de-tubarao-em-vitoria.html
http://ambientes.ambientebrasil.com.br/energia/acidentes_ambientais/principais_acidentes_com_petroleo_e_derivados_no_brasil.html