Engenharia e tecnologia pelo bem da saúde

Engenharia e tecnologia pelo bem da saúde

Voltar

Se você pensar em engenharia e tecnologia provavelmente imaginará invenções futurísticas, construções modernas ou até mesmo incríveis projetos arquitetônicos. Mas, além disso tudo, ainda há pesquisadores que se dedicam a criar tecnologias que têm como objetivo melhorar a saúde das pessoas, inclusive em relação à sua alimentação. Nos dias atuais, os problemas causados pela ingestão de comidas calóricas, gordurosas ou contaminadas são cada vez mais recorrentes e, por isso, são necessárias soluções práticas e eficientes que ajudem a reverter essas situações. Confira, então, algumas invenções recentes que prometem ajudar as pessoas a manterem a saúde em dia.

Chocolate menos gorduroso e mais saudável

O chocolate é, com certeza, um dos doces mais apreciados no Brasil e no mundo. Diversas sobremesas e guloseimas são feitas à base desse ingrediente tão amado. Mas não é segredo para ninguém que o chocolate é gorduroso, calórico e que, se consumido em excesso, pode trazer diversos problemas de saúde. Pensando nisso, pesquisadores decidiram aplicar o conceito electrorheology na produção do doce, que consiste na introdução de um campo elétrico com o objetivo de aumentar a viscosidade das substâncias.

De acordo com um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, esse processo garante uma significativa redução de gorduras e de calorias, sem prejudicar o sabor do chocolate, que continua com o mesmo teor de açúcar. Segundo um artigo publicado no site Engenhariaé, “quando um campo elétrico é induzido, as partículas do chocolate ficam agitadas e em forma de esferoides. A microestrutura reduz a viscosidade do líquido, permitindo que o chocolate possa fluir facilmente através dos tubos e máquinas sem obstrução. Como resultado, os pesquisadores foram capazes de reduzir o teor de gordura entre 10-20%”. Bacana demais, não é?

Confira este vídeo, em inglês, sobre o assunto:

Água filtrada em qualquer lugar

A água é, sem dúvidas, o recurso mais valioso e importante para os seres humanos. No entanto, infelizmente, estima-se que aproximadamente 750 milhões de pessoas não possuem acesso a água potável. Isso significa que milhares de indivíduos correm o risco de beberem líquidos contaminados e contraírem sérias doenças que podem, inclusive, causar fatalidades. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 2 milhões de pessoas morrem, por ano, devido à diarreia.

Por isso, a pesquisadora Theresa Dankovich, da universidade canadense McGuill, desenvolveu um filtro de papel que mata 99% das bactérias. O material é feito com nanopartículas de prata e é uma alternativa prática para tratar a água sem precisar utilizar elementos como o cloro, que, segundo Dankovich, tem uso limitado e causa alterações de sabor. A criação foi transformada em um livro, chamado Drinkable Book (algo como “livro bebível”), que contém informações importantes sobre a qualidade da água e cujas páginas funcionam também como filtros. São 25 folhas com 2 filtros cada uma, sendo que cada um pode purificar até 100 litros da bebida.

Dankovich e sua equipe se esforçaram bastante para tornar o produto acessível, sendo que a estimativa é de que cada livro custe menos de 10 dólares. Espera-se que o Drinkable Book entre no mercado ainda este ano. A seguir, você confere um vídeo bastante interessante, em inglês, que traz várias informações sobre o produto:

Fontes consultadas:

http://engenhariae.com.br/tecnologia/novo-chocolate-saudavel-foi-criado-gracas-ciencia-e-engenharia/
http://revistagalileu.globo.com/Caminhos-para-o-futuro/Desenvolvimento/noticia/2015/09/agua-potavel-sem-cloro-conheca-tecnologia-por-tras-do-drinkable-book.html
http://waterislife.com/clean-water/new-technology


DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Receba nossa newsletter