A importância do orçamento e planejamento de obras

A importância do orçamento e planejamento de obras

Voltar

A Copa do Mundo da Fifa, ocorrida no Brasil em 2014, foi alvo de críticas severas por parte da mídia e da população. Um dos motivos para isso foi a grande ocorrência de problemas no planejamento de obras, que foram amplamente divulgados na televisão, rádio e internet.

Meses depois, após o fim do evento, foram noticiados casos de obras em atraso, que geram custos excessivos. Como exemplo, podemos citar a revitalização do Córrego Mané Pinto, em Cuiabá, cuja conclusão, planejada para a Copa, ficará pronta apenas em dezembro de 2014. O atraso da obra teve como consequência um custo de R$ 2,2 milhões a mais do que o previsto.

Hugo Ferreira Braga Tadeu, professor do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral, concedeu uma entrevista para o Instituto Millenium e afirmou o seguinte:

“A falta de planejamento é um problema recorrente e cultural no Brasil. Não estamos acostumados a planejar, no sentido exato da palavra, as nossas atividades. É muito comum observar grandes projetos que usualmente apresentam atrasos na sua entrega por ausência de um cronograma bem estruturado e, principalmente, de um orçamento bem definido. Como consequência, citando o exemplo das obras para a Copa do Mundo e Olimpíadas, temos estádios, aeroportos, estradas e, principalmente, a desconfiança do investidor internacional abalados”.

No entanto, a boa notícia é que os problemas vivenciados na Copa podem servir como lição aprendida e como amostra da importância de um bom planejamento e orçamento de obras. Realizar um cronograma coerente e um orçamento consistente é a peça-chave para o sucesso de qualquer projeto.

 

Gostou desta postagem? Então compartilhe este texto em suas redes sociais!

 

Fontes Consultadas:
http://www.imil.org.br/divulgacao/entrevistas/a-falta-de-planejamento-um-problema-cultural-brasil/
http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2014/09/atrasada-obra-da-copa-em-corrego-de-cuiaba-fica-r-22-milhoes-mais-cara.html


DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Receba nossa newsletter