Assim, trazemos, neste post, uma seleção com 3 tecnologias que parecem futuristas, mas que já estão sendo planejadas e que estarão em funcionamento em breve. Seja na Alemanha, no Canadá, no País de Gales ou em outro país do globo, essas novidades podem revolucionar a vida de muita gente.

Confira!

Casas flutuantes autossuficientes

Quando pensamos em uma casa, certamente a primeira imagem que nos vem à cabeça é uma moradia tradicional, em terra firme. Mas engenheiros alemães já estão empenhados em desenvolver casas flutuantes que sejam confortáveis e ecologicamente corretas. Apesar de casas flutuantes já existirem, ainda não há opções no mercado que sejam autossuficientes em relação à água e energia.

O professor Matthias Klingner e sua equipe, então, estão trabalhando em um protótipo de 134 metros quadrados de área útil, com painéis solares integrados nas escadas e paredes, que garantem energia de dia e de noite. Além disso, a água utilizada na residência é constantemente reciclada, através de processos eletroquímicos e fotocatalíticos.

Você moraria em uma residência assim?

imagem1
Imagem: Fraunhofer IVI

Cartilagem cultivada em laboratório

Diversas pessoas que sofrem acidentes, ou que nascem com deformações, precisam ser submetidas a procedimentos cirúrgicos para reconstruírem partes do corpo, como as orelhas, o nariz, e até mesmo músculos e ossos. Pensando nisso, pesquisadores do País de Gales estão estudando o cultivo de cartilagem em laboratório, que poderá estar em funcionamento daqui a três anos.

O procedimento consiste em cultivar células em uma incubadora e misturá-las a um líquido especial, sendo que, depois, essa mistura é impressa em uma impressora 3D, no formato desejado e em uma textura gelatinosa. A grande vantagem é que, em pouco tempo, será possível recriar uma parte do corpo que já não existia mais, sem causar danos ou cicatrizes aos pacientes.

imagem2

Ferro em pó no lugar de gasolina

A procura por combustíveis mais sustentáveis levou pesquisadores canadenses a considerarem os pós metálicos como uma alternativa para o abastecimento de automóveis. Os veículos, que atualmente utilizam combustão interna, passariam a utilizar combustão externa, como é o caso de usinas nucleares, por exemplo. A ideia da equipe de Jeffrey Bergthorson, da Universidade McGill, é que os metais funcionem como combustíveis recicláveis, sem a emissão de CO2, que polui a atmosfera. Apesar de os estudos estarem caminhando, ainda não há uma previsão exata para que a tecnologia seja utilizável.

imagem3
Imagem: Alternative Fuels Laboratory/McGill University

Fontes consultadas:
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=casas-flutuantes-independentes-aliviar-cidades&id=010125151223#.VpaXovkrLIU
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/151230_cartilagem_laboratorio_rm
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=carros-alimentados-po-ferro&id=010115151214